Muitos animais que recebemos, vítimas de atropelamento, queimada, eletrocussão e tráfico, retornam à natureza. Outros, por alguma sequela física ou até psicológica, permanecem conosco em cativeiro. Nesse sentido, precisamos de sua ajuda para manter e melhorar o bem-estar desses animais. Você pode fazer isso adotando-os simbolicamente por um ano.

icone-adote1

ESCOLHA UM DOS ANIMAIS DA LISTA

Você pode escolher entre os animais:
• onça-parda Mima
• jaguatirica Pitango
• lobo-guará Lobito
• bugio Grinch
• arara Bailarina.

icone-adote2

ESCOLHA A FORMA DE PAGAMENTO

Via Pag Seguro: Você pode contribuir através de R$ 20,00 mensais durante um ano, que poderão ser pagos no cartão de crédito parcelado ou no boleto no valor total de R$ 240,00.

Via deposito bancário: Você pode realizar um deposito anual de R$ 240,00 em nossa conta bancária e enviar o comprovante via e-mail.

icone-adote3

RECEBA NOTÍCIAS MENSALMENTE

No ato do apadrinhamento, você recebe um certificado digital além de informações mensais sobre o animal apadrinhado.

Você também poderá conhecê-lo agendando uma visita monitorada.

Abaixo você poderá conhecer um pouco da história de cada um deles. Lembramos que a adoção é simbólica e todo o recurso adquirido através desse programa será investido no Centro de Reabilitação de Animais Silvestres, através da aquisição de alimentos, medicamentos veterinários e manutenção e construção de recintos para todos os animais.

Arara Bailarina


Essa arara-vermelha chegou na Mata Ciliar em 2014, com um grave quadro de atrofia. Por ter sido tratada desde filhote como animal de estimação, recebeu uma alimentação completamente errada que comprometeu o desenvolvimento de seus ossos e musculatura. Desta forma, Bailarina não consegue voar e nem parar em pé e, por esse motivo, atualmente vive numa gaiola em que consegue se equilibrar. Mas aqui na Mata ela recebe os cuidados necessários e nutrição adequada e a cada dia ela está mais bonita e saudável.

Clique aqui para adotar este animal

Lobo-guará Lobito

 

Lobito chegou à Mata com pouco mais de dez dias de idade e mal conseguia abrir os olhos. Isso não impediu que ele presenciasse sua família ser atropelada por uma colheitadeira de cana-de-açúcar, uma monocultura que domina o interior paulista. Por ser órfão, ele ganhou mães adotivas na Mata que lhe amamentaram, aqueceram e cuidaram dele até estar forte o suficiente para juntar-se aos outros lobos. Hoje ele é um animal saudável e tornou-se uma bandeira pela luta da preservação da espécie.


Clique aqui para adotar este animal

Onça-parda Mima

Mima é uma jovem fêmea de onça-parda que chegou ao Cras com um mês de idade. Ela foi encontrada sem a mãe próximo a uma rodovia na cidade de Ribeirão Preto, interior paulista. Por ser órfã e ter sido amamentada por nossos tratadores quando pequena, Mima criou uma dependência do ser humano que não favorece a sua reabilitação. Aos poucos, ela está tornando-se cada vez mais independente, exercendo seus comportamentos naturais e ganhando qualidade de vida.

Clique aqui para adotar este animal

Bugio Grinch

Esse bugio chegou à Mata em 2014 ainda filhote. Como era órfão acabou sendo adotado por outro bugio que residia na AMC e formaram um grupo familiar. Infelizmente, por ter sido resgatado com poucos meses de vida não podemos dizer se poderá retornar à natureza. Enquanto isso ele recebe todos os cuidados de nossos técnicos e do resto de seu bando.

Clique aqui para adotar este animal

Jaguatirica Pitango

Esse macho de jaguatirica nasceu na Mata Ciliar em 2009. Sua mãe, Amora, viveu conosco durante 17 anos. Pitango é uma das mais de 30 jaguatiricas residentes na Associação Mata Ciliar e integra um programa de conservação internacional dessa espécie. Dentre os diversos desafios enfrentados, a caça da jaguatirica para a comercialização de pele ainda é uma triste e nefasta realidade.

Clique aqui para adotar este animal