capa

COLABORAÇÃO INTERNACIONAL PRODUZ O PRIMEIRO FILHOTE DE ONÇA-PINTADA NASCIDO DE INSEMINAÇÃO ARTIFICIAL

Marco histórico científico para a conservação de felinos ameaçados.

No dia 16 de fevereiro de 2019 nasceu na Associação Mata Ciliar, em Jundiaí, o primeiro filhote de onça-pintada de inseminação artificial (IA) do mundo.

Este nascimento inédito representa um grande avanço científico e é resultado de um projeto do Centro Brasileiro para a Conservação dos Felinos Neotropicais desenvolvido pela Associação Mata Ciliar (AMC) em parceria com o Center for Conservation and Research of Endengered Wildlife (CREW) do Cincinnati Zoo & Botanical Garden e com a Universidade Federal do Mato Grosso.

A inseminação artificial (IA) foi feita com sêmen fresco coletado de um macho de onça-pintada residente na AMC. Após 104 dias de período de gestação, uma das onças-pintadas selecionadas pelo projeto, chamada Bianca, deu a luz a um único filhote. Ela havia sido inseminada em novembro de 2018 através da metodologia de inseminação artificial (IA) por laparoscopia, desenvolvida e aprimorada pelo CREW em trabalhos anteriores com outras espécies de gatos selvagens. A pequena oncinha nasceu saudável e vigorosa e Bianca apresentou um excelente cuidado maternal com seu filhote. Infelizmente, depois de dois dias, o filhote veio a óbito. Não foi possível saber a causa da morte, pois antes que a equipe de veterinários pudesse realizar uma análise, em um comportamento natural, o filhote morto foi comido pela mãe. Apesar do triste fato, não é incomum isso acontecer, tanto em cativeiro como na natureza, principalmente tratando-se de carnívoros. Bianca era uma mãe de primeira viagem e isso também pode ter influenciado no ocorrido. Contudo, o nascimento do filhote é um resultado muito positivo para a conservação da onça-pintada, considerando que trata-se da espécie de felino mais ameaçada de extinção no Brasil.

“A onça-pintada é a última das sete espécies de felinos de grande porte que passou pelo procedimento de inseminação artificial (IA). O nascimento desse filhote é um importante marco histórico e revigora a possibilidade do uso da reprodução assistida como uma ferramenta no manejo para conservação dessa espécie de gato ícone”, afirma o Dr. Bill Swanson, pesquisador do CREW.

“De uma perspectiva científica, nós estamos celebrando o fato de que o filhote nasceu com saúde e que a inseminação artificial (IA) foi um sucesso” disse Lindsey Vansandt, pesquisadora do CREW.

Este projeto tem por objetivo validar e aperfeiçoar as técnicas de reprodução dos felinos, possibilitando realizar a coleta de sêmen de indivíduos em cativeiro e inseminando animais de vida livre, aumentando a variabilidade genética das populações e ampliando as perspectivas de conservação dessas espécies ameaçadas de extinção.

 

Detalhes do procedimento

Todo o projeto exigiu um trabalho intenso muito antes de que a inseminação artificial (IA) fosse efetivamente realizada. Meses antes, as cinco fêmeas de onças-pintadas selecionadas para participarem do projeto passaram por um processo de condicionamento que objetivou minimizar o estresse dos indivíduos durante os manejos, o que reduziu consideravelmente a necessidade de anestesiá-las em alguns procedimentos como ultrassom, aplicações hormonais e de medicamento.

 

Confira também

1

EVENTO DA KNORR-BREMSE ABRE OPORTUNIDADES PARA A MATA

No dia 20 de abril tivemos o prazer de participar de um evento promovido pela …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *